Contratação: como conduzir o processo na sua startup

Hugo Mathecowitsch

Hugo Mathecowitsch

Co-founder & CEO da a55

 

A contratação de funcionários é complexa e fundamental em qualquer negócio. Para as startups isso tem um peso ainda maior, uma vez que, dentre muitos fatores, os recursos financeiros são reduzidos se comparados a empresas tradicionais do mercado.

Um processo de recrutamento e seleção implementado de forma planejada tem muito mais chances de ser certeiro. Ele atua como agente propulsor do crescimento exponencial do negócio enquanto também se firma como promotor da retenção de talentos.

Assim, para que uma startup possa caminhar na direção desejada, é essencial entender a necessidade de buscar profissionais além de seus currículos. Pensando nisso, fizemos este artigo para ajudar a consolidar um processo de contratação inteligente para a sua empresa!

Tenha uma boa leitura!

 

Por que é fundamental planejar?

O primeiro passo para se conquistar o alto desempenho de qualquer processo é o planejamento. Sem ele, é impossível colocar em prática um processo de recrutamento certeiro e que reflita os valores do seu negócio. Do contrário, o seu negócio pode não sair do lugar e acabar tendo mais gastos do que o ideal.

Por isso, faça o planejamento estratégico, aplique a Análise SWOT para conhecer melhor a sua operação e construa um fluxograma de processo o mais eficaz possível. Lembrando que, com certeza, o modelo construído passará por alterações à medida em que os profissionais e o processo em si sejam amadurecidos.

Como fazer recrutamento em startups?

No início deste artigo, falamos que o processo de contratação em startups sofre uma pressão maior para acertar ao alvo se comparado com as grandes organizações. Afinal, empresas tradicionais possuem, em geral, mais tempo e recursos para aplicar estratégias de alinhamento e engajamento dos colaboradores.

Além disso, startups precisam de funcionários com espírito empreendedor, que compreendam o perfil da empresa e tenham a clareza que ela está buscando a consolidação no mercado. Ou seja, buscam profissionais que têm essa maturidade e estejam dispostos a se lançarem em desafios incertos.

Por isso, a cultura da sua empresa precisa ser muito forte. Abaixo, confira as nossas dicas para implementar um processo de recrutamento certeiro e fazer sempre a melhor contratação para o seu negócio!

Tecnologia

Use a tecnologia no processo de contratação

Se um dos principais limitadores de uma startup são os recursos financeiros, é interessante que a empresa busque formas de otimizar o processo seletivo. Exemplo disso é colocar em prática uma cultura agile.

No mercado é possível encontrar empresas que utilizam o machine learning (aprendizado da máquina) e o business intelligence (inteligência do negócio) para realizar a triagem de candidatos.

Estratégias assim funcionam por meio da automatização de processos e pela análise preditiva de dados, o que torna o recrutamento mais ágil e seleciona candidatos com os perfis mais aderentes ao cargo.

Além de tudo, esses serviços impactam positivamente o ROI (Return of Investiment ou Retorno sobre Investimentos) da sua startup, uma vez que ajudam a promover redução de custos.

Valide se o candidato tem fit cultural

Como as startups têm, em geral, um cenário de caixa bem diferente das grandes corporações, é fundamental que seus colaboradores tenham ciência de que:

● os salários não são os mesmos das empresas tradicionais;

● o crescimento profissional pode ser uma realidade, mas é preciso resiliência.

Dessa forma, analistas de seleção precisam ser bastante assertivos na hora de compartilhar com os candidatos as expectativas da empresa. É neste momento que, muitas vezes, eles têm o primeiro contato com a cultura da sua empresa.

Nesse sentido, o alinhamento é essencial. Por isso, aplique a técnica de entrevista para validar se o candidato tem fit cultural com o negócio.

Feedback

Coloque em prática a cultura do feedback

Uma pesquisa publicada no WorkplaceTrends sobre a experiência do candidato mostra que 66% dos entrevistados afirmam que nunca ou quase nunca recebem informações sobre o status do processo de recrutamento. Infelizmente, essa é uma realidade de muitas empresas também no Brasil, e que pode custar caro para a reputação da marca.

Os candidatos valorizam o feedback. Esse estudo também aponta que eles estão 4 vezes mais propensos a considerar a sua empresa para oportunidades futuras se ela oferecer um feedback construtivo.

Outro ponto importante é que, quando isso acontece, os candidatos tendem a compartilhar a boa experiência com outros profissionais, que ficarão mais interessados pelo seu negócio.

Além dessas dicas, é primordial que a sua startup também:

● defina previamente os critérios de avaliação;

● marque presença nos canais de comunicação ideais;

● busque conhecer as soft skills (habilidades interpessoais) dos candidatos;

● realize pesquisas para melhorar a experiência.

 

É possível reduzir o turnover?

Para reduzir a sua taxa de turnover (rotatividade) e reter talentos no seu negócio é fundamental investir em estratégias de employer branding (marca empregadora).

Com elas, é possível diminuir em 28% a rotatividade de funcionários, o que impacta diretamente nos custos e no desempenho financeiro. Confira 4 práticas que você pode implementar para evitar o turnover!

Experience

Adote o Employee Experience

Após finalizar o processo de contratação, o profissional embarca na sua empresa. Para que o encanto não seja perdido e esse talento se torne cada vez mais engajado é essencial desenvolver o conceito de employee experience na sua gestão estratégica de pessoas. Ele deve ser aplicado pelo seu RH, mas replicado às lideranças, que devem ser porta-vozes da sua cultura.

Onboard

Consolide um onboarding

Um bom processo de onboarding (boas-vindas) pode potencializar a retenção de talentos em 82%, de acordo com um estudo feito pela Glassdoor. Esse é um dos momentos mais importantes na jornada do seu colaborador, pois é um momento de alinhamento e endossamento da cultura da sua startup.

Além disso, é o momento em que sua empresa define se o profissional apresentar uma alta performance: o onboarding dá segurança ao novo colaborador e permite que ele se torne um protagonista na carreira.

Qualidade de vida

Invista em qualidade de vida

A Geração Y, nascida entre início da década de 80 e meados de 90, e os Millenials, nascidos em meados da década de 90 até 2010, são profissionais que buscam empresas que ofereçam mais do que salário. Eles estão à procura de qualidade de vida.

Por isso, tenha como estratégia de atração e retenção de talentos o investimento em benefícios: clube de descontos e home office (trabalho remoto) são interessantes para estimular o engajamento.

Aplique o NPS for Employees

Você provavelmente conhece a metodologia NPS (Net Promoter Score ou Índice Líquido do Promotor), certo? Usada para mensurar a lealdade dos consumidores, ela foi adaptada para os clientes internos de qualquer empresa. Conhecida como eNPS, ou Employee NPS, esse modelo de pesquisa é aplicado para os seus colaboradores.

Dessa forma, ele possibilita conhecer mais sobre a experiência do colaborador, promover um diagnóstico para desenvolver ações certeiras e melhorar a percepção que o seu capital humano tem da sua marca. Implemente o eNPS para fortalecer a cultura da sua empresa e impactar a sua performance.

Que tal considerar a contratação sob demanda?

Por fim, vale considerar que em organizações exponenciais o tamanho e a capacidade de escala não é medido pelo número de colaboradores. Neste sentido, as contratações devem ocorrer de acordo com as necessidades do mercado e demandas internas que precisam ser supridas.

Chamados de staff sob demanda, ou colaboradores sob demanda, esse perfil é uma das características de empresas que crescem exponencialmente por promover mais velocidade e flexibilidade para as empresas.

Um exemplo aqui é o AirbnB, que vale mais do que qualquer outra rede de hotéis do mundo e conta com uma força de trabalho infinitamente inferior se comparada à rede de hotéis Hilton, por exemplo. Neste caso, o AirbnB alavancou sua força de trabalho através do uso da sua plataforma.

Por fim, para fazer uma boa contratação, leve em conta as dicas que citamos anteriormente. Comece por um planejamento, pense em como será a triagem dos seus candidatos e não esqueça dos feedbacks, mesmo quando a pessoa não for escolhida para a próxima etapa.

Além disso, analise se o candidato está alinhado com o fit cultural da empresa. Após a contratação, lembre-se de promover um bom onboarding e invista na qualidade de vida dos colaboradores. Isso ajudará na retenção de talentos.

Este artigo sobre contratação ajudou você? Então, assine a nossa newsletter e receba conteúdos que podem ajudar sua empresa a crescer cada vez mais.