Fique por dentro das características das organizações exponenciais

Hugo Mathecowitsch

Hugo Mathecowitsch

Co-founder & CEO da a55

Crescimento Exponencial

A tecnologia trouxe agilidade, inovação e transformações ao ambiente corporativo, o que levou à criação do conceito de organizações exponenciais. Caracterizadas pela alta taxa de crescimento, adaptabilidade e escalabilidade, elas geraram um novo paradigma de expansão, o qual revolucionou o modelo de gestão de diferentes negócios. Hoje, é possível identificar várias empresas com estas características ― AirBnB, Netflix e Uber são algumas delas, e muitas, inclusive, contam com um modelo de negócios baseado em receita recorrente.

Mas afinal, o que é uma organização exponencial? Quais são suas características? Quais empresas aplicam esse conceito?

Organização exponencial

Uma organização exponencial é uma empresa que cresce de forma acelerada e tem como base o uso da tecnologia. O impacto ou o resultado obtido é desproporcionalmente grande — 10 vezes maior ou até mais —, porque são adotadas técnicas organizacionais que alavancam as tecnologias aceleradas.

Para ter esse crescimento rápido, a companhia precisa trabalhar de forma disruptiva. Isso é visto, principalmente, nas startups. Afinal, por serem empresas novas é possível construir as operações internas já com as características de uma organização exponencial.

Até 2014, a expressão organização exponencial não existia. Ela foi criada por Salim Ismail, Yuri Van Geest e Michael S. Malone, que lançaram um livro de mesmo nome. Apesar disso, o conceito surgiu ainda em 2008, na Singularity University, por Peter Diamandis e Ray Kurzweil.

Diferenças para uma organização linear

Para diferenciar os tipos de organizações, é preciso entender que o principal pilar está na velocidade da performance obtida em razão do uso da tecnologia. Além disso, enquanto em uma organização linear o principal ativo é o capital e a inovação vem de dentro. Em uma organização exponencial, o principal ativo é a informação e a inovação vem de fora.

Há também uma diferença no planejamento estratégico. Enquanto na organização linear as iniciativas concentram-se no curto e médio prazo e isso impossibilita a tolerância a riscos, na organização exponencial as iniciativas concentram-se no longo prazo e existe uma tolerância maior a riscos.

É importante ressaltar que qualquer organização pode se tornar exponencial, no entanto, isso exigirá grandes quebras de paradigmas. Mas quando isso acontece, ocorre a disrupção e o crescimento se torna acelerado.

Quais são as características das organizações exponenciais?

Além de contar com a tecnologia como base, uma das variáveis comuns a todas as organizações exponenciais é a existência de um propósito transformador massivo (PTM). Ele deve permear e ser internalizado por todos os colaboradores. Desse modo, é estabelecido um espírito de cooperação, em vez de um clima político.

Com o PTM, todos os stakeholders têm um objetivo comum e estão motivados a alcançar suas metas. Aqui, entra o planejamento estratégico. Os objetivos devem ser traçados de acordo com os resultados esperados. Para entender como funciona, veja 3 exemplos:

●      Singularity University: “impactar 1 bilhão de pessoas positivamente”;

●      TED: “ideias que merecem ser espalhadas”;

●      Google: “organizar a informação do mundo”.

As organizações exponenciais contam com 10 características que compõem seu modelo de negócio. Elas são divididas em dois grupos: scale e ideas.

Grupo SCALE

Este grupo está vinculado ao lado direito do cérebro, e é associado ao crescimento, criatividade e incerteza. As características são as que listamos a seguir.

Staff/equipe sob demanda

O número de colaboradores de uma organização exponencial é pouco relevante. Sua contratação acontece conforme as necessidades do mercado e as demandas internas que precisam ser supridas. Esta característica é extremamente necessária para dar funcionalidade, velocidade e flexibilidade. Basta observarmos o quanto startups alteram ou evoluem seus produtos. Portanto, é muito mais eficiente contratar pessoas especificas que possam contribuir para alguma melhoria pontual do que arcar com o custo fixo de muitos colaboradores.

Comunidades e multidão

Se antes as comunidades eram formadas por questões geográficas, ideológicas e administrações civis (como a União), agora elas são montadas com base em atributos compartilhados, ou seja, intenções, preferências e necessidades. Esse cenário foi propiciado pela internet.

As organizações exponenciais trabalham para desenvolver suas comunidades e atrair seus stakeholders. Assim, elas possibilitam o engajamento destas pessoas de forma a participarem do desenvolvimento de seus produtos e serviços.

Algoritmos

Os algoritmos são elementos essenciais para o crescimento exponencial, porque são escaláveis e flexíveis. Existem dois principais tipos:

●      machine learning, ou aprendizado de máquina: as tarefas são realizadas com precisão e evoluem de acordo com os dados históricos;

●      deep learning, ou aprendizado profundo: os novos padrões são identificados sem exposição a treinamento ou dados históricos. Os algoritmos são baseados na autoindexação e na descoberta.

Ativos alavancados

Os ativos fixos deixam de ser relevantes, porque a Era da Informação trouxe os ativos alavancados. Desta forma as empresas não precisam mais depender dos ativos fixos para o desenvolvimento de produtos e serviços.

Algumas plataformas, inclusive, realizam a conexão entre o consumidor e o ativo. É o caso do Uber, do WeWork e do AirBnB. Para uma organização exponencial, é melhor acessar por meio de alguma informação do que possuir.

Engajamento

As técnicas de engajamento continuam sendo utilizadas, mas os benefícios são disponibilizados de modo digital. O objetivo é motivar os usuários e criar um ciclo de feedback e envolvimento com a comunidade.

Ainda citando o Uber como exemplo, basta observarmos o engajamento do usuário com a plataforma ao avaliar um motorista. Recurso tal que possibilita inclusive melhorias e evoluções do produto.

Grupo IDEAS

A representação se dá pelo lado esquerdo do cérebro, que simboliza a ordem, a estabilidade e o controle. Confira as características:

Interfaces

As interfaces são responsáveis por realizar a conexão entre o grupo IDEAS ao grupo interno de SCALE. É o modelo de uma plataforma, por exemplo, a Apple Store. Ali, é possível encontrar aplicativos de vários desenvolvedores. São justamente as informações e os dados que são disponibilizados na interface.

Dashboards

Os dados são disponibilizados em tempo real. Por meio dos dashboards, as informações disponíveis são filtradas e se tornam acessíveis para todas as pessoas da companhia.

Experimentação

Os produtos são testados antes de serem lançados no mercado para as empresas terem feedbacks sem implicar custos elevados. É o famoso conceito de MVP ― minimum viable product ou produto mínimo viável, sintetizado no livro Startup Enxuta, de Eric Ries.

Autonomia

A Autonomia elimina a estrutura hierárquica e as equipes nas empresas se tornam auto-organizadas e multidisciplinares. Assim, a autoridade é descentralizada e os colaboradores podem tomar decisões. No final, o objetivo deve ser sempre fortalecer o PTM.

Tecnologias sociais

As plataformas que permitem interação social estão incluídas aqui. Alguns exemplos são Slack, Trello, Asana, Skype, Zoom etc. Tais tecnologias sociais permitem interações constantes, compartilhamento de informações, gerenciamento de tarefas, entre outros fatores que contribuem para a eficiência nas empresas.

É importante destacar que uma organização exponencial nem sempre vai ter todas as características citadas. Ainda assim, quanto mais aspectos tiver, maior será sua capacidade exponencial.

Quais empresas aplicam esse conceito? Veja 5 empresas com estas características

Existem várias empresas que se tornaram organizações exponenciais. Já citamos algumas delas neste post. No entanto, é importante explicar por que elas se encaixam nessa definição. Entenda melhor.

1. Apple

Atualmente a empresa mais valiosa do mundo, a Apple é um dos maiores exemplos de organização exponencial.

É notável identificar em sua estrutura várias das características citadas. No entanto, o aspecto que mais marca a Apple como organização exponencial é a característica de comunidades e multidão.

Sua enorme comunidade de fãs gera uma fidelização com a marca. Basta observar as filas que ocorrem com o lançamento dos produtos. Este aspecto contribui para as vendas e lançamentos de novos produtos, é muito mais fácil vender para alguém que já é fiel a marca do que ter que conquistar um novo consumidor.

2. Instagram/Facebook

Existem vários fatores relevantes para torná-la uma organização exponencial:

●      autonomia, porque os colaboradores são incentivados a tomarem decisões rotineiras e a tocarem projetos;

●      experimentação, já que muitas ferramentas são lançadas em fase beta — ou seja, de testes — para feedback dos usuários;

●      dashboards, pois muitos dados são acompanhados em tempo real e contribuem para as tomadas de decisão da companhia;

●      interfaces, em razão de recursos específicos, como as lojas virtuais internas da rede social;

●      engajamento, pois a opinião dos usuários é levada em conta;

●      algoritmos, porque eles ajudam a entender o comportamento do consumidor e sua opinião;

●      comunidades e multidão, já que os fãs tendem a permanecer nessas redes, em vez de trocá-las por outras mais recentes.

3. Nubank

É a principal fintech da América Latina. Como características de organização exponencial, é possível citar várias delas. Apesar de ser uma companhia relativamente recente, o item comunidades e multidão é bastante forte. Os clientes costumam defender a marca e são verdadeiros embaixadores no mundo virtual.

Como a empresa trabalha com tecnologia, os algoritmos são a base de muitas atividades. Portanto, são outra característica relevante, especialmente porque ajudam nas tomadas de decisão e a definir o que é importante para os consumidores.

O engajamento também é incentivado, porque os clientes podem dar feedbacks e são considerados. Ainda, é possível citar dashboards que vemos através da própria experiência do usuário com o aplicativo. Experimentação, ao identificar melhorias do produto ainda em versão beta.

4. TED

O TED que significa Technology, Entertainment, Design e foi um evento criado em 1984 por Richard Saul Wurman. O diferencial foi criar o formato de apresentações em 18 minutos, o que tornou o TED um evento referência para milhões de pessoas todos os anos, inclusive, algumas das mais influentes.

Em 2001, foi adquirido por Chris Anderson. Na época, o congresso estava consolidado e equilibrado. No entanto, ele quis levar o TED a um nível mais alto. Para isso, executou duas mudanças radicais:

●       disponibilizou as palestras de forma gratuita na internet — e isso valia para as novas e as antigas;

●      criou um conjunto de ferramentas para que qualquer integrante do TED criasse o TEDx, evento menor em sua própria localidade.

Essa foi a ruptura do TED que garantiu a escalabilidade. Além disso, a comunidade foi fortalecida, o que é mais uma característica das organizações exponenciais. Assim, os elementos fortalecidos são:

●      equipe sob demanda, pois as contratações ocorrem conforme a demanda;

●      comunidades e multidão, já que há vários fãs do evento pelo mundo;

●      engajamento, em razão da possibilidade de envolvimento com a comunidade e criação de um ciclo de feedback.

5. Uber

A multinacional americana mudou o serviço de transporte urbano e abriu espaço para uma série de empresas similares, como 99 Taxi e Buser. A diferença do Uber é que a startup foi a primeira.

Criada em 2009 por Garrett Camp e Travis Kalanick, a ideia inicial era ser um serviço de táxi de luxo. Em 2010 e 2011, o investimento de 50 milhões de dólares fez a expansão das operações. Em 2012, já com atuação em Londres, começou o serviço com táxis convencionais.

Daí para a frente, a operação aumentou e hoje a startup realiza até serviço de entrega de comida e refeições, e oferece um serviço especializado para mulheres. Após abrir capital em maio de 2019, a empresa é avaliada em 82 bilhões de dólares.

Essa especificação torna a experimentação uma característica importante para a Uber. Os ativos alavancados são outro detalhe relevante. A Uber ainda se preocupa com o engajamento — por exemplo, algumas decisões já foram revertidas em decorrência da impressão do público — e a autonomia, já que os colaboradores podem se posicionar em algumas situações rotineiras.

Cada vez mais a tecnologia abrirá caminhos para novas organizações exponenciais. Assim, a vantagem da competitividade é aperfeiçoada e a tecnologia oferece espaço para um crescimento ainda maior. Aquelas que deixarem de se adequar a esse novo cenário deverão ser substituídas em longo prazo. Afinal, novas oportunidades surgirão e elas vão afetar todos os modelos de negócios existentes.

Assine a nossa newsletter e tenha as atualizações diretamente em seu e-mail.